domingo, 19 de agosto de 2012

Apresentações

Nunca tive muito jeito para apresentações. Lembro-me perfeitamente daqueles momentos em que a mãe, orgulhosa, me vestia com roupinha ainda nova, acabada de esticar no ferro e, de cara lavada e risco bem vincado no cabelo, me apresentava às visitas. E lembro-me daquele constrangimento aterrador, próprio de quem se sente esmagado por olhos esquadrinhadores. Estas imagens estão tão vivas na minha memória que parecem ter ocorrido ainda ontem. Bem... por acaso ocorreram mesmo. E, sei-o agora, se o ar de repulsa com que na minha infância me brindavam os convidados se devia à insolente catota que teimava em exibir-se, peganhenta, pendendo do meu nariz, por estes dias, na casa dos trinta e já sem catotas, continuo a ser recebido com a mesma reacção. Talvez porque a minha mãe continue a tratar-me por bebé e a insistir que me apresente de camisa abotoada até ao colarinho, calções garridos e meia branca esticada até aos joelhos.
- Dá um passou-bem ao senhor - ordena ela de sorriso nos lábios.
Assim, por norma, tento evitar estes momentos que me custam alguma ansiedade e inúmeras idas à casa-de-banho (e vários rolos de papel higiénico) nas horas que os antecedem. Hoje, estranhamente, senti-me mais confiante para o fazer. Suponho que este despontar de confiança seja fruto das boas vibrações que sinto brotar para os lados de Alvalade. Uma confiança que me recorda a que senti quando há cerca de 12 anos entrei pela primeira vez no antigo Estádio José Alvalade e que a História nunca irá olvidar. Topo Norte: Pela bancada passeavam excitação, entusiasmo, esperança, frenesim e vendedores de queijadas. Maria José Valério: cachecóis no ar e toda a gente canta. Arrepios na espinha e lágrima no canto do olho. Memorável! Minuto 16: Baliza norte, mesmo à minha frente, André olha para a bola. Não marca há alguns jogos... Mas é o André, porra! Nas bancadas acredita-se. A bola parte, o estádio emudece durante o trajecto e explode em euforia quando a borracha se anicha na rede. Bem lá no cantinho! Loucura!
- 'Bora Sporting!
O melhor ainda estava para vir. Minuto 37: Bola na defesa do Porto. Secretário, certamente por desígnio divino, assiste Acosta. Imediato, o estádio levanta-se empurrando o Matador que parte, fulgurante, para a baliza e, ainda de fora da área, desfere a estocada mortal. Delírio. Nas bancadas voam abraços, sorrisos, lágrimas e as queijadas dos vendedores. Inolvidável!

Hoje, em dia de estreia num campeonato que se pretende memorável fica, através do nome deste blogue, deste primeiro post e do vídeo que o encerra, a minha homenagem a um dos momentos mais marcantes da minha existência Sportinguista. Entretanto fico-me por aqui. Até porque já ouço a mamã chamar. Tenho de me ir vestir e pentear. Parece que tenho visitas...





5 comentários:

António Gomes disse...

1º comentário e curto, porque ainda existe pouco para comentar.

Bem vindo e um nome bem escolhido.

Sugrestão: Adiciona a opção de seguir o blog.

Parabéns e boas postas de pescada.

Virgílio disse...

Que seja um bom augúrio... e a estreia do blogue coincida com uma caminhada histórica.

Boa sorte, bom trabalho.

secretário do Acosta disse...

Caríssimos António e Virgílio,

Muito obrigado pelas simpáticas palavras.

Caro António,

Agradeço-lhe a sugestão. Perdoe-me, no entanto, a ignorância: o que é isso de seguir o blog? Para que serve?

António Gomes disse...

Seguir um blog no essencial identifica esse alguém como gostando do teu blog. Ficando este na lista do seguidor.

Existe widgets do blogger que te permite acrescentar essa opção ao teu blog.

outra coisa que retirava era a necessidade de descifrar as mensagens captcha quando se comenta. Para o benefifio que tens, que é pouco (evita programas/robos de envio de mensagens automáticas) torna-se uma chatice para quem quer comentar. Levando até que alguns se abstenham de comentar.

secretário do Acosta disse...

Obrigado, caro António. Para já vou seguir o seu conselho e tirar esta coisa dos robôs. Quanto aos seguidores, logo se vê.

Cumprimentos.